Um ponto de encontro entre internautas cristãos, professores de escola bíblica e pregadores.

DEUS CRIOU O MAL?


DENNIS ALLAN

Em Isaías 45:7, Deus diz: "Eu formo a luz e crio as trevas; faço a paz e crio o mal; eu, o Senhor, faço todas estas coisas." Aceitamos como verdade inegável esta afirmação de Deus. Agora, como devemos entendê-la?


Algumas pessoas têm usado este versículo para definir o caráter de Deus como um ser mal, até sugerindo que o Deus do Velho Testamento é malevolente e vingativo em contraste com Jesus, o bom e benevolente Deus do Novo Testamento. Tais conclusões contradizem as claras afirmações do Velho Testamento ("Bom e reto é o Senhor, por isso, aponta o caminho aos pecadores"-Salmo 25:8) e do Novo Testamento ("Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, faz as suas obras. Crede-me que estou no Pai, e o Pai, em mim"- João 14:10-11).

Outros usam o mesmo versículo (Isaías 45:7) para dizer que Deus é um ser "equilibrado" que é tanto bom como mau. Tal ideia é representada em símbolos de falsas religiões, como o "yin-yang". Mas, o Deus verdadeiro não é um conjunto de forças opostas. Ele é perfeitamente bom, e não contém nada de maldade. "Deus é luz, e não há nele treva nenhuma" (1 João 1:5).

yin-yang - A glória de Deus nunca se misturou com a filosofia louca dos homens. Este símbolo chinês jamais poderá representar o caráter de Deus, mas, erroneamente ele se encaixa perfeitamente com algumas teologias fraudulentas que desvirtuam a palavra de Deus. 

Ainda outros têm exagerado o conceito da soberania de Deus até o ponto de negar o livre arbítrio do homem. Segundo alguns sistemas de teologia, Deus decreta tudo, e o homem é impotente para resistir a vontade do Senhor. Pessoas com estas ideias afirmam que Deus predestinou cada pessoa para a salvação ou condenação, e que Jesus morreu somente para salvar as pessoas eleitas pelo capricho de Deus. Tais doutrinas são falsas. Deus chama todos ao arrependimento (Atos 17:30) porque ele não quer que ninguém pereça (2 Pedro 3:9). Jesus provou a morte por todo homem (Hebreus 2:9). Ele mandou que os apóstolos pregassem a toda criatura, e prometeu a salvação àqueles que cressem e fossem batizados (Marcos 16:15-16).

E Isaías 45:7. O que Deus fez? Outras passagens nos ajudam. Deus não criou o mal no sentido moral. "Pois tu não és Deus que se agrade com a iniquidade, e contigo não subsiste o mal" (Salmo 5:4-5). Deus não tenta ninguém, pois ele é a fonte de "toda boa dádiva e todo dom perfeito" (Tiago 1:13-17).

A palavra "mal" em Isaías 45:7 vem de uma palavra original que pode ter vários sentidos. Neste contexto e em outros onde Deus faz ou traz o mal, a palavra significa "calamidade" ou "punição". É o oposto de paz. Deus usaria Ciro para "abater as nações" (45:1). Em 45:8, Deus promete salvação (paz) e justiça (punição ou mal). Outros trechos usam a mesma linguagem. Os males que Deus ameaçou trazer em 2 Reis 22:16 foram punições e calamidades (veja Josué 23:15, onde aparece a mesma palavra no original).

Deus criou o mal? Sim, no sentido que um Deus justo e santo se afasta do pecador e o castiga por sua iniquidade. Mas Deus jamais criou o pecado, e não tenta ninguém.

FONTE: Deus criou o mal? - Denis Allan - http://www.estudosdabiblia.net/bd98.htm
Share:

MARCADORES

A pessoa de Cristo (1) A.W. Tozer (3) Abraão (1) Antonio Gilberto (2) arminianismo (3) Arrebatamento (1) arrependimento (1) Assembléia de Deus (2) Batismo com Espirito Santo (2) bebida alcoólica (1) bíblia sagrada (1) Billy Graham (1) Blog Cantinho Restaurado (1) calvinismo (13) calvinistas (1) Calvino (1) certo (1) cessacionismo (2) Ciro Zibordi (12) Claudionor de Andrade (1) comportamento (4) confraria pentecostal (1) continuismo (1) Corpo de Cristo (1) CPAD (1) cristianismo (2) cruz (1) Daladier Lima (3) Dan Corner (1) Dave Hunt (2) Devocional (5) dízimo (2) Dons Espirituais (7) Douglas Batista (1) Doutrina Pentecostal (1) eleição (2) Eliseu Gomes (2) equívocos religiosos (2) errado (1) erudição (1) Evangelho (3) evangelicalismo (1) Experiência (1) Familia (1) Familia Cristã (4) (1) felicidade (1) graça (3) Gunnar Vingren (1) herege (1) heresia (4) Hernandes Lopes (1) Igreja (2) Imael Brito (1) imperialismo (1) Islamismo (1) João Cruzué (1) jugo desigual (1) julgamento (1) linguagem cristã (1) Línguas estranhas (4) livre-arbítrio (5) livro da vida (1) Luciano Subirá (1) Max Lucado (1) Melquisedeque (1) Menno Simons (1) mulher (1) Mundanismo (2) Natal (1) Norman Geisler (1) Paulo Junior (1) pecado (1) pentecostais (1) perdão (1) personagens (1) piedade (1) Predestinação (4) pregação expositiva (1) profecia (1) razão (1) reforma protestante (1) religiosidade (1) renovados (1) sacerdote (1) Salvação (3) Sandro L. Oliveira (1) Santificação (1) Século XXI (1) simplicidade (1) sinais (1) soberania de Deus (1) sola scriptura (1) soteriologia (1) Susanna Wesley (1) teologia (2) Teologia Pentecostal (1) Tiago Rosas (3) titanic (1) Versículos Bíblicos (1) Vida Cristã (9) vídeo (2) visão (1)