Um ponto de encontro entre internautas cristãos, professores de escola bíblica e pregadores.

CONFISSÃO DE FÉ


Crendo nos príncipios abaixo enumerados o cristão viverá uma vida abundante com Deus! 


O único Deus verdadeiro, vivo e poderoso existe eternamente em três pessoas, iguais em glória e poder: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Mateus 28:19; 2 Coríntios 13:14). Deus é perfeito em santidade (Isaías 6:3), sabedoria (Romanos 16:2), justiça (Apocalipse 15:3-4) e amor (1 João 4:8). Ele criou e sustenta todas as coisas (João 1:3; Hebreus 1:3). A humanidade foi criada para O adorar e servir. Só Deus é digno de ser adorado e exaltado (Êxodo 20:4-5; Actos 10:25-26).

O eterno Filho de Deus, para salvar a Igreja, tornou-Se homem perfeito, embora Deus perfeito, na pessoa do Senhor Jesus Cristo (João 3:16). Nasceu de uma virgem por obra do Espírito Santo (Mateus 1:18, 23), viveu uma vida perfeita, sem pecado, cumpriu a Lei, foi crucificado pelos pecados da humanidade, ressuscitou dos mortos (1 Coríntios 15:3-4) e ascendeu aos céus (Actos 1:9), onde continuamente intercede pela Igreja perante o Pai (Hebreus 7:25). Graças à Sua perfeita obediência (Filipenses 2:8-11), o Senhor Jesus recebeu do Pai toda a autoridade nos céus e na terra (Mateus 28:18) e tornou-Se o Salvador (Actos 4:12) de todos os que crêem nEle (Actos 16:31) e o único Mediador entre Deus e os homens (1 Timóteo 2:5). Os crentes têm por Ele o privilégio de poderem ter comunhão e orarem a Deus, o Pai (Mateus 6:9), com o auxílio do Espírito Santo (Romanos 8:26) e em nome de Jesus Cristo (João 14:13-14).

A Bíblia, constituída pelo Antigo e pelo Novo Testamentos, é a Palavra revelada de Deus (2 Timóteo 3:16,17). Os seus manuscritos originais foram plenamente inspirados pelo Espírito Santo. Não contêm, por isso, qualquer erro (João 17:17). A Bíblia é a única regra de fé e prática para a Igreja (2 Timóteo 1:3). A Igreja não prega qualquer outra doutrina para além daquelas que são claramente ensinadas nas Escrituras Sagradas (1 Timóteo 6:3-5), de acordo com a fé da Igreja fiel ao longo da História. Essas doutrinas devem ser cridas, obedecidas (1 Pedro 1:22) e vividas pela Igreja (2 Timóteo 3:15). O mesmo Espírito que inspirou a Bíblia ilumina a Igreja no entendimento das Escrituras (1 Coríntios 2:10-12). O Espírito Santo vivifica as Escrituras (João 6:63) e usa-as para revelar Jesus Cristo aos homens (João 15:2) e para O glorificar (João 16:14).

Todos os homens são pecadores e portanto sujeitos à condenação eterna de Deus (Romanos 3:23). Podem ser salvos exclusivamente pela graça de Deus, através da fé em Jesus (Efésios 2:8,9; João 6:47), como o Filho de Deus e o Cristo (Mateus 16:16-17), o único e suficiente Salvador. A morte e a ressurreição do Senhor Jesus - significada pelo Seu Sangue (Efésios 1:7; 2:13) - para a salvação de todos os que crêem constituem a súmula e a essência do Evangelho (1 Coríntios 15:1-4) e única fonte de toda a vida espiritual (João 6:53-54; João 7:73-39). Os crentes são eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito (1 Tessalonicenses 2:13; Efésios 1:4), para obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo (1 Pedro 1:2).

Os crentes manifestam a sua fé em Jesus e o seu amor por Ele através de uma vida de obediência (João 14:21-23) e de boas obras (João 15:8), que Deus preparou de antemão para que andássemos nelas (Efésios 2:10). Os crentes esforçam-se por viver em comunhão com Jesus (João 15:7), andar no Espírito (Romanos 8:9-13; Gálatas 5:16) e viver pela fé (Romanos 1:17). São conduzidos pelo Espírito de Deus (Romanos 8:14) e produzem o fruto do Espírito (Gálatas 5:18, 22-25). Na medida em que ouvem e seguem o Bom Pastor, ninguém as arrebatará da mão de Deus (João 10:27-28). O Espírito Santo capacita o eleito a perseverar na fé até ao fim (Apocalipse 2:10,26), em santificação (Hebreus 12:14), em obediência (João 10:27; Romanos 6:17; Lucas 8:15) e no serviço da Igreja (Hebreus 6:9-12).

O Senhor baptiza na Igreja todos os que crêem em Jesus (1 Coríntios 12:13). A Igreja é o instrumento de Deus para manifestar ao mundo a multiforme sabedoria de Deus (Efésios 3:10), ao operar hoje o ministério de Jesus (João 14:12). A Igreja deve realizar na terra a Obra de Deus, pregar o Evangelho (Mateus 28:19-20), apoiar os seus membros (Efésios 6:18; Gálatas 6:2,10), adorar a Deus (Actos 2:46,47), baptizar os crentes em água (Mateus 28:19) e celebrar a Ceia do Senhor (Actos 2:41-42). O Senhor deseja que a Sua Igreja seja Um Corpo, com os seus membros unidos (Efésios 4:3), ouvindo a voz (Apocalipse 3:22) e conduzidos por Um Espírito (Gálatas 5:18, Romanos 8:14), de forma a alcançar Uma Fé (1 Timóteo 1:3) e submeter-se a Um Senhor, o Cabeça da Igreja (Efésios 1:22,23; 4:1-6).

O Senhor Jesus baptiza os crentes com o Espírito Santo (João 1:33; João 4:16,17,23; Efésios 1:13; Actos 8:14;17) com a finalidade de edificar o Corpo de Cristo (1 Coríntios 12:18,24; 1 Coríntios 14:4,5,12), guiando os crentes a toda a verdade (João 16:13,14), através da operação do Ministério (manifestado em cinco distintas formas) da Palavra de Deus e dos nove dons do Espírito (1 Coríntios 12:7-12; Efésios 4:11-16). Assim, o Senhor prepara a Igreja para a Sua segunda vinda, que é a grande esperança dos crentes (1 Coríntios 1:7,8; Efésios. 5:25-27; 2 Timóteo 4:8). O Senhor Jesus voltará para a Sua Igreja, formada por todos os crentes ao longo dos tempos que confiaram exclusivamente no Sangue de Jesus para sua salvação (Apocalipse 7:9,12,14), num dia e numa hora inesperada (Mateus 24:40,42). Aqueles que morreram em Cristo serão ressuscitados dos mortos e todos os crentes receberão corpos glorificados (1 Tessalonicenses 4:15-17; 1 Coríntios 15:51,52). A partir desse momento, a Igreja viverá em comunhão com o Senhor Jesus na eternidade (Apocalipse 21). Os que rejeitaram a graça de Deus oferecida em Jesus Cristo serão julgados e condenados à eterna separação de Deus (João 3:36; Apocalipse 20:12-15).


MARCADORES

A pessoa de Cristo (1) A.W. Tozer (3) Abraão (1) Antonio Gilberto (2) arminianismo (3) Arrebatamento (1) arrependimento (1) Assembléia de Deus (2) Batismo com Espirito Santo (2) bebida alcoólica (1) bíblia sagrada (1) Billy Graham (1) Blog Cantinho Restaurado (1) calvinismo (13) calvinistas (1) Calvino (1) certo (1) cessacionismo (2) Ciro Zibordi (12) Claudionor de Andrade (1) comportamento (4) confraria pentecostal (1) continuismo (1) Corpo de Cristo (1) CPAD (1) cristianismo (2) cruz (1) Daladier Lima (3) Dan Corner (1) Dave Hunt (2) Devocional (5) dízimo (2) Dons Espirituais (7) Douglas Batista (1) Doutrina Pentecostal (1) eleição (2) Eliseu Gomes (2) equívocos religiosos (2) errado (1) erudição (1) Evangelho (3) evangelicalismo (1) Experiência (1) Familia (1) Familia Cristã (4) (1) felicidade (1) graça (3) Gunnar Vingren (1) herege (1) heresia (4) Hernandes Lopes (1) Igreja (2) Imael Brito (1) imperialismo (1) Islamismo (1) João Cruzué (1) jugo desigual (1) julgamento (1) linguagem cristã (1) Línguas estranhas (4) livre-arbítrio (5) livro da vida (1) Luciano Subirá (1) Max Lucado (1) Melquisedeque (1) Menno Simons (1) mulher (1) Mundanismo (2) Natal (1) Norman Geisler (1) Paulo Junior (1) pecado (1) pentecostais (1) perdão (1) personagens (1) piedade (1) Predestinação (4) pregação expositiva (1) profecia (1) razão (1) reforma protestante (1) religiosidade (1) renovados (1) sacerdote (1) Salvação (3) Sandro L. Oliveira (1) Santificação (1) Século XXI (1) simplicidade (1) sinais (1) soberania de Deus (1) sola scriptura (1) soteriologia (1) Susanna Wesley (1) teologia (2) Teologia Pentecostal (1) Tiago Rosas (3) titanic (1) Versículos Bíblicos (1) Vida Cristã (9) vídeo (2) visão (1)